sábado, 18 de setembro de 2010

Brasileiros, salvem Olinda!


Igreja do Amparo e casarão anexo:
 patrimônio marcado por pichações

    Considerada patrimônio histórico e cultural da humanidade desde 1982 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, UNESCO, agência da ONU, a histórica cidade de Olinda continua sofrendo com um antigo problema, as pichações. Igrejas, casarios, monumentos e outras obras arquitetônicas não escapam do vandalismo feito por delinqüentes que não valorizam a importância da preservação de tal patrimônio.

  O descaso das autoridades públicas facilita a ação dos pichadores. Estes não temem às leis, pois estão certos de sua impunidade, deixando Olinda depredada. Este problema tem origem, certamente, na grande desigualdade existente na nossa sociedade, assim como na falta de emprego, educação e moradia.

 Além do desrespeito ao patrimônio público, o turismo na cidade é prejudicado consideravelmente, pois a beleza e o encanto já não são os mesmos. No final da década de 1990, graças a esse descaso, Olinda foi ameaçada de perder o título da UNESCO, fato que acarretaria em grandes perdas econômicas ao Estado e uma perda cultural incalculável a toda humanidade. Vale salientar que as grandes agências de viagem usam o selo da UNESCO para promover excursões. Em todo o mundo há apenas 582 tesouros naturais e culturais merecedores do título. Entre eles, relíquias como o centro histórico de Roma e o de Florença, as pirâmides do Egito, o Grand Canyon americano e o Monte Everest.

 Uma forte campanha conscientizadora e programas sociais devem ser promovidos pela Prefeitura de Olinda, a quem compete fiscalizar o patrimônio, para que este problema seja evitado no futuro. Caso contrário o Brasil terá de lamentar a destruição de um dos seus nove patrimônios reconhecidos pela ONU.





Fonte: Revista Veja Online. 20/10/99,p.134. Dina Duarte.
Colaboradoras deste texto: Larissa Gomes, Eugênia Carvalho e Thais Melo.


Por hoje é só. Até mais.

Iuri Adônis

7 comentários:

spectromgm disse...

São mesmo uns vândalos. Normalmente, picham para demarcar território, brigando com outras gangues e tal...
Grafite é arte, mas pichação é vandalismo!!!

Gabriela Castanhari disse...

vandalos... o pior que existe isso em todo lugar.
( minha escola pega fogo em alguma coisa quase toda semana por pessoas com caráter desse tipo ) u.u'

esclareci o que quis dizer no post em que você comentou, aliaás, obrigado por comentar.

ótimo conteudo seu blog. beijo

M. Araújo disse...

Os cidadãos como um todo no Brasil não temem a mão pesada estado, "pesada" em tese diga-se de passagem.Se antes as pessoas se enquadravam na lei de Deus e na lei dos homens, hoje aquela encontra-se extinta.Não há educação, não há zelo pelo patrimônio histórico, pelos espaços sociais.Talvez mts dessas pessoas não destruam apenas um patrimônio ou outro, mas o governo que é omisso as suas diversas necessidades.

angela disse...

É preciso dialogar com essas pessoas, criar espaços e alternativas para que possam manifestar-se sem estragar os prédios. Aqui temos alguns locais em que os proprietários colocam pequenas placas informando que fazem doações a determinadas entidades beneficentes com o dinheiro que gastariam com nova pintura. Alguns locais como túneis, muro de cemitério, etc foram liberados para o grafite. Reprimir somente não dá conta, mas concordo que não pode deixar como está.
beijo

maN bOwerline disse...

Adorei alguém se preocupar com o patrimônio público.Boa noite!

SIGA E SEJA SEGUIDO(A)

Elimacuxi disse...

Yurito
vi teus recados,mas andei distante, com dengue, com problemas na família que vc já sabe quais são... e a olimpíada, na qual fizestes falta.
minhas equipes estão todas na semi, mas agora vamos esperar os resultados da final...
teu blog continua muito massa
um abraço macuxi, de corpo alma e coração.

Barbara Nonato disse...

Este tipo de coisa não é exclusividade de Olinda! Todos os lugares parecem ter sido invadidos por vândalos e apresentam marcas dessa ignorância deles. Destroem cidades históricas, monumentos; sem respeito ao algum às memórias locais.
Atitudes impensadas de gente que não tem um mínimo de responsabilidade e bom senso. Infelizmente é parte do contexto do país...

Postar um comentário